terça-feira, 29 de outubro de 2013

Sexta Feira dia 01 de Novembro Todos os Santos (não tem procissão, somente eucaristia)
08H30: Rossas.
08H30: Arouca.
17H00: Moldes.
18H00: Santa Eulália.



«A vocação do cristão é a santidade, em todo momento da vida. Na primavera da juventude, na plenitude do verão da idade madura, e depois também no outono e no inverno da velhice, e por último, na hora da morte.». Papa João Paulo II.


Sabádo dia 02 de Novembro de 2013 dia de Fieís-Defuntos:
A procissão é no fim da celebração da Eucaristia ou da Palavra.

Paróquias de Pe João Pedro.
Rossas: 14H00.
Santa Eulália: 15H30.
Arouca: 17H00.

Paróquias de Padre Pedro Miguel.

Albergaria da Serra. 10H30. (celebração da Palavra).
Cabreiros: 10H30.
Rio de Frades: 10H30. (Celebração da Palavra).
Silveiras: 10H30. (celebração da Palavra).
Vila Viçosa: 15H00.
Moldes: 15H00.

Domingo 03 de Novembro de 2013.
Janarde: 08H30.
Espiunca: 10H30.
Canelas: 15H00.

Depois de ter cantado a glória e a felicidade dos Santos que «gozam em Deus a serenidade da vida imortal», a Liturgia, desde o início do século XI, consagra este dia à memória dos fiéis defuntos.
É uma continuação lógica da festa de Todos os Santos. Se nos limitássemos a lembrar os nossos irmãos Santos, a Comunhão de todos os crentes em Cristo não seria perfeita. Quer os fiéis que vivem na glória, quer os que vivem na purificação, preparando-se para a visão de Deus, são todos membros de Cristo pelo Baptismo. Continuam todos unidos a nós. A Igreja peregrina não podia, por isso, ao celebrar a Igreja da glória, esquecer a Igreja que se purifica no Purgatório.
É certo que a Igreja, todos os dias, na Missa, ao tornar sacramentalmente presente o Mistério Pascal, lembra «aqueles que nos precederam com o sinal da fé e dormem agora o sono da paz» (Prece Eucarística 1). Mas, neste dia, essa recordação é mais profunda e viva.
O Dia de Fiéis Defuntos não é dia de luto e tristeza. É dia de mais íntima comunhão com aqueles que «não perdemos, porque simplesmente os mandámos à frente» (S. Cipriano). É dia de esperança, porque sabemos que os nossos irmãos ressurgirão em Cristo para uma vida nova. É, sobretudo, dia de oração, que se revestirá da maior eficácia, se a unirmos ao Sacrifício de reconciliação, a Missa.
No Sacrifício da Missa, com efeito, o Sangue de Cristo lavará as culpas e alcançará a misericórdia de Deus para os nossos irmãos que adormeceram na paz com Ele, de modo que, acabada a Sua purificação, sejam admitidos no Seu Reino.(secretariado da liturgia)

terça-feira, 15 de outubro de 2013

 
A EUROPA DE AMANHÃ ESTÁ NAS VOSSAS MÃOS
UM MILHÃO DE EUROPEUS
EM DEFESA DA VIDA E DA DIGNIDADE HUMANA





Decorre desde o dia 06 de Outubro , uma recolha de assinaturas para a " a petição Um de nós" a que a conferência episcopal se associou para garantir a proteção legal do embrião, tutelando todos os seres humanos a partir do primeiro momento da sua existência, tal como o referiu o nosso papa no dia 12 de maio de 2013.
As paróquias de Arouca  fizeram uma recolha de assinaturas no fim das celebrações dominicais.
 
para mais informações: visitar o site oficial. http://www.umdenos.org/


sexta-feira, 31 de maio de 2013

Festa da Solenidade do Corpo e Sangue do Senhor


 
«Então Jesus tomou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos ao Céu e pronunciou sobre eles a bêncão. Depois partiu-os e deu-os aos discípulos, para eles distribuírem pela multidão. Todos comeram e ficaram saciados». Lucas 9.
 
 
No centro da Solenidade deste domingo está  a celebração de Deus que alimenta o seu povo e que, no seu Filho, dá-lhe o alimento supremo e eterno, quer a grande Eucaristia dos crentes.
Para exprimir esta oração de louvor e de agradecimento, que dirigimos ao Senhor acolhendo o dom do seu amor, a Escritura emprega duas palavras: a bênção (primeira leitura) e a ação de graças (segunda leitura).
Estas duas dimensões de oração estão intimamente ligadas e devem habitar a nossa vida para além da missa, para testemunhar todo o amor com o qual Cristo ama os homens (Evangelho).
A Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo é a festa da Pessoa de Cristo. Ao levantarmos os olhos para o Pão e o Vinho consagrados, só podemos dizer: «É mesmo Ele! Meu Senhor e meu Deus!»


Horários de Arouca
Sabádo, missa vespertina as 18H00.
Missa as 08H25.
Missa as 11H00 com profissão de fé
adoração ao Santíssimo sacramento das 12H00 até as 18H00.
procissão as 18H00.
 
 

sexta-feira, 17 de maio de 2013

 
Este fim de semana, nas paróquias De Arouca, Santa Eulália, Rossas, vai decorrer a festa do Pai Nosso.
 

 
 
Domingo de Pentecostes
 
" Ide por todo o mundo e anunciai o evangelho"
 
Sabádo as 21H30.
 Encontro vicarial de Adoração ao Santíssimo na Igreja paroquial de Arouca.
 
É uma palavra que vem do grego e significa "qüinquagésimo". É o 50° dia depois da Páscoa. É a solenidade da vinda do Espírito Santo. Junto com Natal e Páscoa, forma o tripé mais importante do Ano Litúrgico. Esse detalhe ajuda a compreender por que Pentecostes pertence ao Ciclo da Páscoa.
Qual é a cor litúrgica de Pentecostes e seu significado?
O vermelho domina essa solenidade, associado ao fogo, símbolo do amor. 0 Espírito Santo é chamado de "Espírito do amor".
Como surgiu a festa de Pentecostes?
Antes de ser uma festa dos cristãos, Pentecostes foi festa dos judeus, e sua origem se perde nas sombras do passado. Antes de se chamar assim, tinha outros nomes, e era uma festa agrícola. Em Êxodo 23,14-17 é chamada de festa da Colheita, a festa dos primeiros feixes de trigo colhidos. Em Êxodo 34,22 é chamada de festa das Semanas. Por que "festa das semanas"? A explicação é dada pelo Levítico (23,15-21): calculavam-se 7 semanas a partir do inicio da colheita do trigo. 7 semanas = 49 dias.
Com o tempo, ela perdeu sua ligação com a vida dos agricultores, recebeu o nome grego de Pentecostes e se tomou festa cívico-religiosa. No tempo de Jesus, celebrada 50 dias apos a Páscoa, ela recordava a dia em que no Monte Sinai, Deus entregou as tábuas da Lei a Moises. Os Atos dos Apóstolos fazem coincidir a vinda do Espírito Santo com a festa judaica de Pentecostes.
 
Qual a mensagem de Pentecostes?
A mensagem vem , sobretudo das leituras dessa solenidade, que são sempre as mesmas: Atos 2,1-11; 1 Coríntios 12,3b-7.12-13; João 20,19-23. Eis alguns temas que deveriam ser aprofundados. 1. O supremo dom do Pai e de Jesus a humanidade é o Espírito Santo. 2. Soprando sobre os discípulos, Jesus esta recriando a humanidade mediante o sopro do Espírito. 3. Recebendo o Espírito de Jesus, os cristãos recebem igualmente a mesma missão. 4. O Espírito é dado a todos. Ninguém fica sem ele, e ninguém o possui plenamente. 5. O Espírito leva a humanidade a formar uma só família, no amor, diferentemente de Babel-confusão, em que as pessoas não se entendem.

segunda-feira, 6 de maio de 2013


FÉ, ARTE E CULTURA UNIDAS PELA MÚSICA

Integrado no Ano da Fé e inserido num belo cenário de arte sacra, como o é a magnífica igreja do Mosteiro de Arouca, teve lugar no dia 4 de maio, um Concerto musical que reuniu mais de uma centena de vozes e que foram acompanhadas pela Orquestra Per Gaya da Escola de Música de Perosinho, dirigida pelo maestro João Costa.
Foram interpretados vários trechos de música sacra de importantes compositores, tais como, entre outros, Haendel, Vivaldi, Mozart, Gounod e Cesar Franck. Algumas dessas peças tiveram a participação vocal dos solistas Vítor Sousa, Miguel Rodrigues, Luísa Barriga e Maria João Gomes.
Expressão de unidade na fé foi, não só a presença do bispo auxiliar do Porto, D.João Lavrador, neste concerto, como também a possibilidade que este evento permitiu de congregar quase todos os grupos corais que animam as celebrações nas comunidades paroquiais do concelho de Arouca, totalizando mais de uma centena de vozes, que cantaram, em uníssono, o “Credo Domine” do Pe. Cartagena e que foi eleito como Hino do Ano da Fé.
O concerto terminou com a interpretação do Hino à Rainha Santa Mafalda de Arouca, num arranjo musical do compositor Paulo Bernardino, organista da capela da Universidade de Coimbra.
Ainda dentro das festividades da Rainha Santa e no ano em que ocorrem 220 anos da sua beatificação, este hino, interpretado mesmo em frente ao seu altar, constituiu uma bela homenagem à padroeira de Arouca, cuja memória, permanece, desde há séculos, ligada à história deste Mosteiro e cuja devoção continua viva no coração dos seus devotos.
Além de uma manifestação de fé, expressa através da música e do canto coral, este concerto, organizado pelo Grupo Coral de Urrô, foi também uma expressão de evangelização da qual a música pode, e deve também ser, um importante veículo nos tempos em que vivemos.
A beleza do cenário em que decorreu este concerto, a sonoridade vibrante das vozes dos coralistas e a harmonia dos instrumentistas que as acompanharam, proporcionaram um ambiente de beleza e de espiritualidade que, certamente, encheu a alma e elevou o espírito de quantos tiveram o privilégio de assistirem a esta manifestação de fé, de arte e de cultura, no Mosteiro de Arouca.

 
 
José Cerca

Rainha Santa, vinde valer-nos! Nesta hora incerta de sombra e luz.

Foi com este apelo, vibrantemente cantado diante do altar da Padroeira de Arouca, e junto ao seu túmulo-relicário, pelos numerosos fiéis que encheram completamente a igreja do Mosteiro de Arouca que, no passado dia 2 de maio, se encerraram as cerimónias religiosas em honra da Rainha Santa Mafalda.
O ponto central das festividades foi a Eucaristia solene, presidida pelo Bispo Auxiliar do Porto, D.João Lavrador, concelebrada por 10 sacerdotes e um diácono permanente e que foi transmitida em direto pela Rádio Regional de Arouca. A animação musical da celebração esteve a cargo do Grupo Coral de Urrô que foi acompanhado ao órgão de tubos pelo prof. Nicolas Roger, organista titular do Mosteiro. Mais uma vez se fez representar nesta festa uma delegação do Mosteiro de Lorvão, que, este ano, veio acompanhada do seu pároco.
Além da Ordem de Malta, esteve também presente, nesta festa, um grupo de freiras cistercienses, e de outras ordens religiosas, que vieram participar na mostra de doçaria conventual, integrada no evento “Cister, saberes e sabores” que decorreu em Arouca de 1 a 5 de maio.
Durante a homilia, D.João Lavrador lembrou que “celebrar a festa da Rainha Santa Mafalda é reconhecer a verdade do amor de Deus revelado em Jesus Cristo, presente na vida e na ação desta grande mulher, por isso elevada à glória da santidade.”
E embora a vida e a ação de Santa Mafalda se situem em contextos distintos dos atuais, o Bispo auxiliar do Porto lembrou que “o exemplo de Santa Mafalda é iluminador para a nossa vida, no contexto da cultura atual.” E concluiu que a vida de Santa Mafalda é, “no seu conjunto, nas suas palavras, nos seus gestos, no seu estilo, nas suas convicções e prioridades, exemplo de evangelização.”
Depois da Missa seguiu-se a adoração ao SS.mo que terminou, no final da tarde, com a procissão solene pelas ruas da vila de Arouca, acompanhada, não só por uma grande multidão de fiéis, mas também pelos sons da Banda Musical de Arouca e pelas diversas irmandades do Concelho.
 
Celebrada em plena época de crise, mas com saberes e sabores de Cister, a festa em honra da Rainha Santa, no ano em que ocorrem 220 anos da sua beatificação, foi uma grande jornada de fé, de cultura e de tradição popular que trouxe a Arouca milhares de devotos que vieram implorar a sua proteção nesta “hora incerta de sombra e luz”.

José Cerca


terça-feira, 30 de abril de 2013


FESTA DA RAINHA SANTA MAFALDA
dia 02 de Maio de 2013

Celebrada com saberes e sabores de Cister

Celebra-se no próximo dia 2 de maio a festa da Rainha Santa Mafalda, cujo 220º aniversário da sua beatificação ocorre no presente ano (27 de Julho de 1793). Como habitualmente, a festa é organizada pela Real Irmandade da Rainha Santa Mafalda. Este ano e após um interregno de quatro anos, a festa é integrada e culturalmente enriquecida com um conjunto diversificado de atividades que compõem o evento âncora “Cister, Saberes e Sabores” organizado pela Anima Património, em parceria com a Câmara Municipal de Arouca e com a colaboração da Real Irmandade da Rainha Santa Mafalda. Este evento a decorrer de 1 a 5 de Maio, e que terá como palco e tema a vivência cisterciense no Mosteiro de Arouca, será um excelente pretexto para trazer a esta antiquíssima Vila muitos visitantes quer de dentro, quer de fora do Concelho de Arouca.

Desde sempre defendemos que a melhor calendarização para este evento seria o período que englobasse a festa da padroeira de Arouca, pois além de ser feriado municipal, este é sempre antecedido de um feriado nacional, o que permite a organização de um conjunto de atividades, como vai acontecer este ano, de 1 a 5 de maio, com a 6ªedição do evento “Cister, Saberes e Sabores”, o que certamente muito contribuirá também para o enriquecimento cultural da festa da Padroeira de Arouca, bem como para a promoção turística de Arouca, abrindo ao público, durante estes cinco dias o seu melhor ex-libris, que é o Mosteiro de Arouca.

José Cerca


09h00 – Festa da Rainha Santa Mafalda (organização da Real Irmandade Rainha Santa Mafalda)
Entrada da Banda Musical de Arouca | Desfile pela Av. 25 de Abril (organização da Real Irmandade Rainha Santa Mafalda)
10h30 – Abertura dos espaços de exposição
Fabrico ao vivo da Doçaria Conventual (horários a determinar)
11h00 – Missa Solene na Igreja Conventual e presidida pelo Bispo D. João Lavrador
12H00 / 17H00: Adoração ao santissimo sacramento.
(organização da Real Irmandade Rainha Santa Mafalda)
15h00 – Concerto pela Banda Musical de Arouca (organização da Real Irmandade Rainha Santa Mafalda) | Praça Brandão de Vasconcelos
17h00 – Cerimónia Religiosa e Procissão (organização da Real Irmandade Rainha Santa Mafalda) | Igreja do Mosteiro de Santa Maria de Arouca e Zona Histórica
20h00 – Sarau de Poesia organizado e transmitido em directo pelo programa Voz dos Sentidos
da Rádio Informédia

21h30 – Concerto pela Orquestra Sinfónica do Conservatório de Música de Fornos, Stª Maria da Feira
23h00 – Fecho dos espaços de exposição

Dia 1 de Maio

11h00 – Abertura do “Cister, Saberes e Sabores – 2013” – VI edição

Abertura dos espaços de exposição
Fabrico ao vivo da Doçaria Conventual
11h30 – Quarteto de Metais (finalistas do Ärea Talent Show)| Claustro
15h00 – Concerto de Piano e Trompete por Miguel Brandão e Tiago Rocha | Claustro
17h00 – Concerto de Orgão e Oboé (organização da Real Irmandade Rainha Santa Mafalda | Igreja e Cadeiral
21h30 – Grupo de Cantares e Cramois de Moldes | Claustro
23h00 – Fecho dos espaços de exposição

 

Dia 3 de Maio

9h00 – Abertura do secretariado do VI Colóquio “Cister, Saberes e Sabores” – Ao tempo de Mafalda Sanches
9h30 – VI Colóquio “Cister, Saberes e Sabores” - Ao tempo de Mafalda Sanches | Sala do Capítulo, (ver
programa em Separado)
10h30 – Abertura dos espaços de exposição
Fabrico ao vivo da Doçaria Conventual (horários a determinar)
18h00 – Encerramento do VI Colóquio “Cister, Saberes e Sabores” – Ao tempo de Mafalda Sanches
18h30 – Quarteto de Trompetes (Banda Musical de Arouca) | Claustro
21h30 – Concerto de Música Antiga pelo Grupo “Vozes Alfonsinas” | Cadeiral
23h00 – Fecho dos espaços de exposição

Dia 4 de Maio

10h30 – Abertura dos espaços de exposição
Fabrico ao vivo da Doçaria Conventual (horários a determinar)
11h00 – Mesa redonda – “A vida Monástica na atualidade”
15h00 – Teatro – “Todo o Mundo e Ninguém” adaptado da Obra de Gil Vicente pela Companhia de Teatro Palcos Cruzados | Salão de Festas
17h00 – Concerto de Piano e Voz por Gabriel Silva | Sala do Capítulo
21h00 – Concerto do Ano da Fé (org. Grupo Coral de Urrô; colab. Orquestra Per Gaia) | Igreja
23h00 – Fecho dos espaços de exposição

Dia 5 de Maio

10h30 – Abertura dos espaços de exposição
Fabrico ao vivo da Doçaria Conventual (horários a determinar)
15h00 – Concerto pela Orquestra S. João Baptista – Cepelos | Cerca do Mosteiro
16h30 – Fados com Gabriel Silva e Vitó
 


sexta-feira, 26 de abril de 2013


O CREDO

Síntese da Fé Cristã

Com a presença da Drª Zita Seabra, da Alêtheia Editores, e do Pe. António Vaz Pinto, teve lugar no passado dia 19 de abril, no Centro Paroquial do Burgo (Arouca) a apresentação da última publicação deste sacerdote jesuíta, com fortes ligações familiares, culturais e afetivas a Arouca.
O Credo, síntese da Fé Cristã” é já a sua terceira obra publicada por esta Editora, cujo nome em grego significa Verdade.
E é precisamente sobre as verdades fundamentais da Fé Cristã que este livro se dedica e cuja publicação se integra no Ano da Fé, proclamado a 11 de outubro de 2012 por Bento XVI, agora Papa emérito, para assinalar o 50º aniversário do Concílio Vaticano II e o 20º aniversário da promulgação do Catecismo da Igreja Católica, estando o seu encerramento marcado para 24 de Novembro de 2013.
Após uma breve apresentação do livro, feita por Zita Seabra, coube ao seu autor falar um pouco mais sobre esta sua última obra a que deu o subtítulo de “Síntese da Fé Cristã”. Esclareceu que optou por esta designação e não apenas, síntese da Fé Católica, por entender que, numa atitude de abertura ecuménica, a primeira designação é muito mais abrangente, integrando assim, não apenas os cristãos católicos, mas também os cristãos ortodoxos e protestantes.
Mais do que uma oração em primeira pessoa, o Credo, referiu Vaz Pinto, é um pequeno tratado doutrinal com a síntese das verdades fundamentais da Fé Cristã. E é sobre cada um dos 17 artigos deste pequeno tratado que esta obra se centra, no intuito de ajudar os cristãos a refletirem sobre cada uma dessas verdades da sua Fé.
A apresentação do Pe. Vaz Pinto acabou mesmo por se transformar numa autentica catequese, feita com a vivacidade, a simplicidade e a acessibilidade doutrinal que caraterizam a sua capacidade de comunicação.
Esta apresentação terminou com uma longa sessão de autógrafos do autor nos livros adquiridos pelo público presente.

José Cerca
 

segunda-feira, 15 de abril de 2013


AROUCA CELEBRA O DIA VICARIAL DA FAMILIA

Com a presença do Bispo auxiliar do Porto, D.João Lavrador, realizou-se em Arouca, no passado domingo, 14 de abril, o Dia Vicarial da Família, no qual foram homenageados cerca de 70 casais das diversas comunidades paroquiais da Vigararia de Arouca-Vale de Cambra e que no corrente ano celebram o seu jubileu matrimonial.
No salão de festas dos Bombeiros Voluntários de Arouca teve lugar um momento de testemunho dado por três casais de diferentes idades. Nesses testemunhos foi evocado, pelo casal mais idoso, o ambiente social, cultural e religioso quer da sua infância e juventude, quer da sua vida familiar como pais e avós, assinalando a evolução vivida antes e após o Concilio Vaticano II.
O segundo casal, com 10 anos de vida matrimonial, testemunhou o seu percurso de fé e as suas vivências religiosas através no envolvimento nas diversas atividades da comunidade paroquial a que pertence, tendo focado a importância do exemplo dos pais na caminhada de fé dos seus filhos.
O casal mais jovem referiu a importância que o grupo dos Convívios Fraternos e dos Caminhos de Taizé tiveram para o crescimento e amadurecimento da sua fé.
Finalmente, o testemunho de duas irmãs adolescentes de 11 e 13 anos que referiram o seu ainda pequeno percurso de fé através da caminhada na família a que pertencem e na comunidade paroquial em que estão ativamente integradas. Terminaram o seu testemunho com um pequeno canto aplaudido por toda a assembleia que enchia o salão de festas dos Bombeiros.
Estes testemunhos foram intercalados com dois momentos musicais levados a cabo pelo grupo de cantas e cramois do Conjunto Etnográfico de Moldes que, nas suas atuações, oferecem sempre um cenário de beleza e harmonia, através dos seus belos trajes e das melodiosas vozes das sete mulheres que compõem este grupo de cantos tradicionais de Arouca.
Após este primeiro momento seguiu-se a Celebração da Eucaristia na Igreja do Mosteiro de Arouca que foi presidida por D.João Lavrador, acompanhado de todos os párocos e diáconos permanentes em serviço na Vigararia.
Durante a celebração teve lugar a renovação do compromisso matrimonial dos casais jubilados.
Durante a homilia, D.João Lavrador referiu que “a familia, constituída a partir do matrimónio entre uma mulher e um homem, é uma instituição de ordem natural. Deixada apenas à simples iniciativa humana, ela torna-se difícil de aguentar e promover. A prova-lo está a realidade cultural que hoje destrói o matrimónio e a família.”
Referindo o ataque aos valores sublimes da família, o Bispo auxiliar do Porto reconheceu a necessidade imperiosa de reabilitar a família, mas – afirmou – “ela não acontecerá sem nos alicerçarmos nesta visão renovada do amor purificado, livre já de qualquer egoísmo, individualismo, da prisão de interesse material, do acorrentar das alienações culturais e legislativas.”
Refira-se que esta celebração eucarística foi animada pelos diversos coros das comunidade cristãs de Vigararia, dirigidos por Ivo Brandão e acompanhados ao órgão de tubos pelo organista titular Nicolas Roger.
No final da celebração foi entregue a cada casal jubilado um diploma, tendo o bispo auxiliar do Porto feito um apelo para que estes casais possam também estar presentes no dia Diocesano da Família a ter lugar em Penafiel.

José Cerca





sexta-feira, 12 de abril de 2013

 
Durante a proxima semana, vai decorrer a 50 ª semana das vocações. Nesta semana tentaremos perceber qual é o caminho que desperta para a vocação consagrada e dos leigos e que os jovens, no meio de tantas propostas superficias, se sentam atraídos pelos valores e opções radicais por un serviço aos outros seguindo JESUS. Oremos pelas vocações afim que o Senhor toque os corações de muitos dos nossos jovens.
 
 
Vigilia de Oração pelas vocações, dia 16/04/2013 as 21H00, na igreja de Arouca
 
 
 
Aviso
Durante este fim de semana, vai decorrer a festa da vida na paróquia de Arouca e de Rossas. Que estes jovens recebendo o sinal da  cruz, simbolo da entrega da vida pelo outros, sejam o sinal de esperança, fundada na fé. 

quinta-feira, 11 de abril de 2013

 Dia Vicarial da Familia 14 de Abril de 2013
 15H00 Conferencia no Salão dos Bombeiros voluntários de Arouca
17H00 celebração da Eucaristia das bodas de 10, 25 e 50 anos dos casais inscritos na Igreja conventual de Arouca.

 
 
Ressuscitou Aleluia! Aleluia!
 
Que grande alegria é para mim poder dar-vos este anúncio: Cristo ressuscitou! Queria que chegasse a cada casa, a cada família e, especialmente onde há mais sofrimento, aos hospitais, às prisões...
Sobretudo queria que chegasse a todos os corações, porque é lá que Deus quer semear esta Boa Nova: Jesus ressuscitou, há uma esperança que despertou para ti, já não estás sob o domínio do pecado, do mal! Venceu o amor, venceu a misericórdia! A misericórdia sempre vence!

Papa Francisco I


 


ACANTONAMENTO ADS EM MOLDES

Embora sem o apoio da meteorologia, o grupo dos ADS do Movimento Juvenil Salesiano de Arouca realizou o seu acantonamento de Páscoa, em Moldes, durante o passado fim-de-semana.

Por entre momentos de sol e de aguaceiros, próprio do tempo de março, para lá nos dirigimos a pé, na tarde de 6ª feira, acompanhados de alguns dos nossos animadores.

O ano passado o local escolhido para o nosso acantonamento da Páscoa foi Ponte de Telhe. Gostámos da experiência e quisemos repeti-la este ano, junto da comunidade de Moldes, graças ao apoio e incentivo dos nossos animadores.

O nosso Papa Francisco, antigo aluno salesiano, quer ensinar-nos o lema de vida franciscano, viver em “Paz e Bem” e este acantonamento veio também ajudar-nos a seguir esse lema de vida.

Nesse acantonamento que teve lugar nas instalações da Casa Paroquial e na sede da Junta de Freguesia, tivemos momentos de convívio, de reflexão, de oração, de contato com a natureza, embora fria e chuvosa, e também momentos de interação com a população, nomeadamente visitando alguns doentes da localidade.

Visitámos alguns idosos da freguesia que cantaram cantigas e contaram histórias do seu tempo, conversámos e trocámos ideias, realizámos uma Via Sacra na noite de sábado, participámos na Missa de Ramos e, à boa maneira de D. Bosco, divulgámos a boa imprensa, vendendo, no final da Missa, o livro “Rezar na Páscoa” das Edições Salesianas. No domingo tivemos um almoço partilhado com o Grupo de Jovens de Moldes e durante a tarde fizemos, em conjunto, uma reflexão alusiva à Páscoa e divertimo-nos com alguns jogos de dinâmica de grupo que também partilhámos.

Apesar das condições meteorológicas pouco favoráveis, isso não impediu que este IV acantonamento da Páscoa tenha deixado de ser mais um momento importante na história do nosso grupo dos ADS.

Aos nossos animadores que nos apoiaram e incentivaram, ao grupo de jovens que connosco partilhou algumas atividades e à comunidade cristã de Moldes e ao seu pároco, o Pe. Pedro, que tão bem nos acolheram, o nosso obrigado pascal.


O grupo ADS do MJS

terça-feira, 19 de março de 2013

Programa da Semana Santa em:

Arouca

 Sábado 23/03/13 as 21H00: Via Sacra da catequese a sair da capela de Santo António ( se chover será na igreja).
Domingo 24/03/13 as 08H30 na igreja e as 10H45 a iniciar na praça com a catequese: celebração do Domingo de Ramos.
Segunda-feira 25/03/13 Confissões das 09H00 as 10H00, das 15H00 as 16H00, das 21H00 as 22H00.
Terça-feira 26/03/13 Confissões das 09H00 as 10H00.
Quarta- Feira 27/03/13 as 21H00 a partir da capela da Misericórdia: procissão dos fogaréus e sermão no calvário.
Quinta-feira Santa 28/03/13 as 22H00: Celebração da Ceia do Senhor na Igreja paroquial.
Sexta-feira Santa 29/03/13 da 00H00 as 17H00: Adoração ao Santíssimo Sacramento. As 17H00, celebração da Paixão do Senhor com procissão a seguir.
Sabádo Santo: 30/03/13 as 23H00: Vigilia Pascal.
Domingo Páscoa 31/03/13 as 08H00 Missa com saída das cruzes á seguir e Eucaristia da Páscoa do Senhor as 11H00.

Santa Eulália

Terça- feira 26/03/13 as 21H00: Via Sacra.
Quinta-feira 27/03/13 as 19H30 com adoração ao Santíssimo até a 00H00.
Sexta-feira Santa 28/03/13 as 15H00: celebração da Paixão do Senhor.
Sábado Santo 29/03/13 as 21H30: Vigília Pascal.
Domingo de Páscoa as 08H00: Missa da Páscoa do Senhor com saída das cruzes
Segunda-feira 01/04/13 as 08H00: saida das cruzes em Santa Maria do Monte e missa por volta das 11H30.

Rossas

Quinta- feira 27/03/13 as 21H00: Celebração da Ceia do Senhor.
Sexta-feira 28/03/13 as 17H00 Celebração da paixão do Senhor.
Sábado 29/03/13 as 21H00: Vigília Pascal.
Domingo 30/03/13 Por volta das 08H00, saida das cruzes com missa da Páscoa do Senhor no final.
Segunda-feira 01/04/13 as 08H00: Missa com saída das cruzes as seguir.

HABEMUS PAPAM

Francisco I, um papa do fim do Mundo

Eram 18.06h, hora de Lisboa, quando, finalmente, surgiu na mais famosa chaminé do mundo, o tão desejado fumo branco.

Em poucos minutos a notícia espalhou-se por todo o mundo, já de si com os olhos postos no Vaticano, desde que Bento XVI formalizara a sua resignação, no dia 28 de fevereiro.

Durante cerca de uma hora o mundo esteve suspenso à espera de saber o nome, o rosto e a nacionalidade do novo Sumo Pontífice.

Por volta das 19.06h o Cardeal Jean-Louis Tauran anunciava, em latim, o nome do novo papa: Jorge Mário Bergoglio, de 76 anos, arcebispo de Buenos Aires na Argentina e que adotou o nome de Francisco.

Quando o novo Papa apareceu às 19.22h na janela da varanda do Vaticano foi recebido por uma enorme aclamação da multidão que o aguardava na Praça de São Pedro, no Vaticano.

Refira-se que esta escolha surgiu no segundo dia de conclave, à quinta votação, sendo curioso que o Papa agora eleito, foi o segundo Cardeal mais votado no anterior Conclave que, elegeu Bento XVI em Abril de 2005.

Francisco I

Até ao século VI, todos os Papas usaram o seu nome de batismo. O primeiro a mudar de nome depois de São Pedro foi Mercúrio, que adotou o nome João II.

A escolha do nome do novo Papa imprime, quase sempre, uma marca de atuação ao novo pontificado e, neste caso, a escolha de Francisco para o novo Papa remete, de imediato, para a figura de S.Francisco de Assis, figura marcante na história da Igreja e na renovação do Catolicismo no sec.XIII. Aliás, a primeira aparição de Francisco I perante a praça de S.Pedro em Roma e perante o Mundo, através dos meios de comunicação social, pode ser caraterizada por uma atitude de simplicidade, de serenidade e de humildade tão caraterísticas do “Poverello” de Assis.

Por outro lado, sendo Jesuíta, o nome de Francisco poderá também remeter para o grande missionário do Oriente que foi S. Francisco Xavier.

De qualquer modo, quer a marca da evangelização expressa no Missionário jesuíta do Oriente, quer a referência aos símbolos da harmonia cósmica, da fraternidade e da paz universal, tão ligadas ao franciscano de Assis, marcarão certamente a atuação do Pontificado deste 266.º Papa da Igreja Católica e 1º Papa da América do Sul.

Deseuropeização da Igreja

Sendo a Igreja Católica a instituição mais universal do Mundo, a escolha de um cardeal argentino como primeiro Papa da América Latina é, certamente, mais um dos sinais dos tempos que, na opinião do Bispo do Porto, D.Manuel Clemente, assinala uma certa tendência para aquilo a que ele chamou a “deseuropeização da Igreja” que trará também benefícios para a própria Europa atravessada por um crise, não apenas económica , mas também de valores e de identidade cultural.

É óbvio que não será fácil para este papa da América latina governar a Igreja a partir do Vaticano. O enorme conjunto de questões que tem atravessado, sobretudo os dois últimos papados, não lhe passarão ao lado e ele está, não só bem consciente dessas dificuldades, como também convicto da necessidade dos dons do Espírito Santo para o ajudarem a governar a barca de Pedro.

Facto inédito, em início de pontificado, foi o gesto de Francisco I, antes de dar a sua primeira bênção “urbi et orbi” ao povo de Deus que o esperava na praça de S.Pedro, e ao mundo, iniciar os primeiros momentos do seu pontificado, com as orações mais universais da Igreja Católica, bem como o gesto de pedir uma oração em silêncio para si, enquanto inclinava humildemente a cabeça na janela do Vaticano.

E a verdade é que o novo Papa vai precisar, e muito, da oração do Povo de Deus e da Luz do Espírito Santo, para o ajudar a conduzir a barca de Pedro por entre as vagas alterosas em que ela tem navegado e face a um mundo tão conturbado e em grandes transformações a todos os níveis.

A escolha de um Papa com o perfil, a cultura, a espiritualidade e a visão pastoral de Francisco I será certamente um sinal de esperança para a Igreja e para o Mundo.

José Cerca

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

 
 
"Lembra-te de que és pó e para o pó voltarás"
 
A Quaresma começa na quarta-feira de Cinzas, 40 dias antes da Semana Santa, e é tradicionalmente um período de reflexão e recolhimento.
Na Igreja primitiva, variava a duração da Quaresma, mas eventualmente começava seis semanas (42 dias) antes da Páscoa.
Isto só dava por resultado 36 dias de jejum (já que se excluem os domingos). No século VII foram acrescentados quatro dias antes do primeiro domingo da Quaresma estabelecendo os quarenta dias de jejum, para imitar o jejum de Cristo no deserto.
Era prática comum em Roma que os penitentes começassem sua penitênica pública no primeiro dia de Quaresma. Eles eram salpicados de cinzas, vestidos com saial e obrigados a manter-se longe até que se reoconciliassem com a Igreja na Quinta-feira Santa ou a Quinta-feira antes da Páscoa. Quando estas práticas caíram em desuso (do século VIII ao X) o início da temporada penitencial da Quaresma foi simbolizada colocando cinzas nas cabeças de toda a congregação.
Hoje em dia na Igreja, na Quarta-feira de Cinzas, o cristão recebe uma cruz na fronte com as cinzas obtidas da queima das palmas usadas no Domingo de Ramos do ano anterior.
 
Como preparar-se para praticar o Jejum neste dia?

O jejum é um sinal externo da conversão do coração. Portanto, sua preparação exige um profundo exame de consciência e uma atitude de contrição, de arrependimento de nossas fraquezas e um propósito firme de mudança de vida. Conforme o ensinamento da Igreja, no Código de Direito Canônico, “todos os fiéis, cada qual a seu modo, estão obrigados por lei divina a fazer penitência; mas, para que todos estejam unidos mediante certa observância comum da penitência, são prescritos dias penitenciais, em que os fiéis se dediquem de modo especial à oração, façam obras de piedade e caridade, renunciem a si mesmos, cumprindo ainda mais fielmente as próprias obrigações e observando principalmente o jejum e a abstinência, de acordo com os cânones seguintes” (Can. 1249).
A Igreja também ensina que “estão obrigados à lei da abstinência aqueles que tiverem completado catorze anos de idade; estão obrigados à lei do jejum todos os maiores de idade até os sessenta anos começados. Todavia, os pastores de almas e os pais cuidem que sejam formados para o genuíno sentido da penitência também os que não estão obrigados à lei do jejum e da abstinência em razão da pouca idade” (Can. 1252).Além do jejum, a oração e a esmola aparecem como as principais formas de expressão da penitência interior. Assim, o jejum, a oração e a esmola representam a conversão em relação a si mesmo, a Deus e aos outros
 
Em que devemos pensar nestes dias?
 
                    Neste quarta-feira iniciamos um percurso de quarenta dias, aproveitando o precioso tempo para a oração, a penitência e a meditação. O Santo Padre, na sua mensagem de Quaresma, oferece-nos este ano como tema de reflexão, a relação entre a fé e a caridade.
"Não podemos dar prioridade à fé e quase desprezar as obras de caridade reduzindo-as a um humanitarismo genérico, e também não podemos sustentar uma supremacia exagerada da caridade e de seu trabalho, pensando que as obras podem substituir a fé", escreveu o Papa. Pois é um bom tema para refletir e meditar neste periodo quaresmal.




segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Calendário do Curso para matrimónio de Arouca / Vale de Cambra do ano 2013/2014

Os noivos que pretendam casar até julho de 2014 devem fazer a sua inscrição até dia 28 de março de 2013. O CPM vai decorrer no auditório de Santo António em Vale de Cambra (centro) e a primeira sessão será no dia 12 de abril de 2013 as 21H00. (para mais informação, visualizar a secção CPM e matrimónio, no lado direito deste blogue).

ESCOLA VICARIAL DE FORMAÇÃO CRISTÃ

Os desafios do Concílio Vaticano II

Com a presença do sr. Bispo do Porto, D.Manuel Clemente, teve início do dia 18 de janeiro, no Salão paroquial de Mansores, o primeiro de 9 encontros que constituem o Curso deste ano, centrado no Concilio Vaticano II.
Ocorrendo este ano o 50º aniversário do Concilio Vaticano, os temas a serem abordados, ao longo destes encontros, centrar-se-ão nos quatro grandes documentos saídos deste Concílio, nomeadamente, sobre a Igreja (Lumen Gentium), sobre a Revelação (Dei Verbum), sobre a Liturgia (Sacrossantum Concilium) e sobre a relação Igreja e o mundo contemporâneo (Gaudium et Spes).
Foi sobre este último documento conciliar que D.Manuel centrou a comunicação deste primeiro encontro.
Iniciando a abordagem ao tema com uma atitude muito pedagógica, o Bispo do Porto começou por fazer uma breve referência aos 21 concílios ecuménicos realizados até hoje na Igreja, apresentando também alguns dados curiosos sobre o Papa João XXIII que o iniciou a 11 de Outubro de 1962.
Depois de referir os quatro grandes documentos (Constituições pastorais) saídos deste Concilio, D.Manuel escolheu 5 pontos da Constituição “Alegria e Esperança” (Gaudium et Spes) para falar da extraordinária importância deste Concílio nomeadamente sobre as relações entre a Igreja e o Mundo contemporâneo.
Efetivamente neste documento a Igreja dirige-se não apenas aos cristãos, mas a todos os homens, abarcando em si “as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens de hoje, sobretudo dos pobres e de todos aqueles que sofrem”.

Alguns dos encontros desta Escola Vicarial decorrerão alternadamente em Arouca e Vale de Cambra, tendo lugar em Mansores os encontros comuns a ambas as comunidades cristãs.
O próximo encontro terá lugar nos dias 24 e 25 de janeiro, respetivamente em Vale de Cambra e Arouca e abordará o documento conciliar sobre a renovação da Liturgia, a cargo do Dr. João Peixoto e do beneditino Fr.Bernardino Costa.

José Cerca

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013



Palestra Na Escola Secundária de Arouca. Dia 18 de janeiro de 2013 as 21H00.

O CONCÍLIO VATICANO II E OS SEUS DESAFIOS.

Programa (18 de Janeiro a 15 de Março 2013).
Inscrições para esta acção de formação abertas nas paróquias ou na secretária Interparoquial de Arouca.

Mansores as 21H00:
18/01 Abertura " Mundo de Hoje " D. Manuel Clemente
08/02 " A Igreja no mundo a partir da lumen Gentium " Eng. Catarina Bettencourt (AIS)
01/03 " A revelação de Deus a partir da Dei Verbum ". D. António Couto
15 /03 Encerramento - D. João Lavrador.

Arouca as 21H00:
25/01 " Modus Orandi a partir da Sacrosantum Concilium " Frei Bernardino Costa (OSB)
01/02 " A Pessoa celebra a sua fé segundo a Sacrosantum Concilium " Dr João Peixoto.
15/02 " Resposta da Igreja ao Mundo de hoje segunda a G.S " Dr José Pedro Angélico.
22/02 " A Igreja a partir da Lumem Gentium " Dr Arlindo Magalhães.
08/03 " A escuta do Homem a partir da Dei Verbum " Dr José Carvalho.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Epifania do Senhor


A Epifania do Senhor (do grego: Ἐπιφάνεια, : "a aparição; um fenômeno miraculoso") é uma festa religiosa cristã que celebramos no dia o6 de janeiro, ou seja, doze dias após o Natal, porém, a partir da reforma do calendário litúrgico em 1969 passou a ser comemorada 2 domingos após o Natal.
A Epifania representa a manifestação de Jesus Cristo como o enviado de Deus Pai, quando o filho do Criador dá-se a conhecer ao Mundo. Na narração biblíca Jesus deu-se a conhecer a diferentes pessoas e em diferentes momentos, porém o mundo cristão celebra como epifanias três eventos: a Epifania propriamente dita perante os magos do Oriente (como está relatado em  Mateus ( 2, 1-12) e que é celebrada no dia 06 de Janeiro; a Epifania a João Batista no rio Jordão; e a Epifania a seus discípulos e início de sua vida pública com o milagre de Caná quando começa o seu ministério.
No sentido literário, a "epifania" é um momento privilegiado de revelação. Pois Deus revela-se ao mundo e cabe-nos a nós acolher com todo o coração e anunciar a boa nova da sua vinda.

Avisos
 Convite para as Jornadas Vicariais da Fé - Arouca/Vale de Cambra.
 Nos dias 05 e 06 de Janeiro, a Vigararia de Arouca/Vale de Cambra celebrará as Jornadas da Fé no Santuário de Santo António, em Vale de Cambra

Sábado - Dia 05 de Janeiro:
15h - Abertura
15h/16h - Testemunhos - "O Mistério Pascal"
16h - Momento musical
16h05 - Testemunhos - "O Corpo Eclesial de Cristo"
16h45- Momento lúdico
16h55 - Testemunhos -"Vida em Cristo"
17h25 - Momento lúdico
17h35 - Testemunhos - "Conhecendo a Deus no amor fraterno"
18h05 - Momento lúdico
18h15 - Testemunhos - "Rezar Cristãmente"
18h45 - Credo
21h00 - Vigília de Oração

Domingo - Dia 06 de Janeiro
15h00 - Eucaristia - Santuário de Santo António


CONCERTO EM DIA DE REIS

Terá lugar Domingo, pelas 15.30h, no cadeiral do Convento de Arouca, , um Concerto de órgão, de polifonia e arte, no fim do qual se seguirá uma visita à exposição “Da Anunciação à Redenção” com peças do escultor José Rodrigues, na Sala do Capítulo.(organização da Real Irmandade Rainha Santa Mafalda).