quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

8 de dezembro - Imaculada Conceição


No dia 8 de Dezembro de 1854, o Papa Pio IX declarou solenemente o dogma da Imaculada Conceição. Dizia textualmente:

“A doutrina segundo a qual a Bem-aventurada Virgem Maria, no primeiro instante da sua conceição, foi por especial privilégio de Deus Omnipotente, com vista aos méritos de Jesus Cristo, Salvador do género humano, preservada imune de toda a mácula do pecado original, é revelada por Deus e deve por isso ser acreditada por todos os fieis, firmemente e com constância.” (Bula Ineffabilis Deus - 08-12-1854)


“Celebremos esta Solenidade, como um acontecimento que continua a glorificar a Trindade una e indivisa. A Imaculada Conceição de Maria constitui o sinal do amor gratuito do Pai, a expressão perfeita da redenção levada a cabo pelo Filho, o ponto de partida de uma vida totalmente disponível à acção do Espírito.” (João Paulo II, Homilia em Lourdes, 15.08-2004)


Ave Maria,
Mulher pobre e humilde,
abençoada do Altíssimo!
Virgem da esperança,
profecia dos novos tempos,
nós nos associamos
ao teu hino de louvor
para celebrar
as misericórdias
do Senhor,
para anunciar
a vinda do Reino
e a libertação
integral do homem.
Ave Maria,
humilde serva do Senhor,
gloriosa Mãe de Cristo!
Virgem fiel,
santa morada do Verbo,
ensina-nos a perseverar
na escuta da Palavra,
a ser dóceis à voz do Espírito,
atentos aos seus apelos
na intimidade da nossa consciência
e às suas manifestações
nos acontecimentos da história.
Ave Maria,
Mulher da dor, Mãe dos viventes!
Virgem esposa junto da cruz,
nova Eva, sê nossa guia
pelos caminhos do mundo,
ensina-nos a viver e a propagar
o amor de Cristo,
ensina-nos a permanecer contigo,
junto das numerosas cruzes
nas quais teu Filho
ainda é crucificado.
Ave Maria,
Mulher de fé,
primeira entre os discípulos!
Virgem, Mãe da Igreja,
ajuda-nos a dizer sempre a razão
da esperança que nos anima,
tendo confiança na bondade
do homem e no amor do Pai.
Ensina-nos a construir o mundo
a partir do interior: na profundidade
do silêncio e da oração,
da alegria do amor fraterno,
na fecundidade insubstituível
da Cruz.
Santa Maria, mãe dos crentes,
Nossa Senhora de Lourdes,
intercede por nós.
Amém.


João Paulo II

Sem comentários: