quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Deixar Deus, ser Deus.

Deixar Deus, ser Deus.
Eis o desafio que a Palavra de Deus, nos deixa, neste Domingo 25º do tempo comum (18 de Setembro de 2011).
Ela surpreende-nos e até nos escandaliza, com a bondade de Deus, que nos ama e a todos nos chama, não segundo os nossos méritos mas segundo a largueza da sua infinita bondade.

O Santo Padre, o Papa Bento XVI, diz: Não é possível viver em sociedade, apenas na base de “relações feitas de direitos e deveres”. É preciso ir mais longe. O homem, criado à imagem de Deus, deve “antes e sobretudo mover-se por relações de gratuidade, misericórdia e comunhão” (Bento XVI, CV, 6).

Sem comentários: