sexta-feira, 6 de maio de 2011

Rainha Santa Mafalda atrai multidões a Arouca

A memória e a devoção à Rainha Santa Mafalda bem como as excelentes condições meteorológicas que o dia apresentava, trouxeram à Vila de Arouca, no passado dia 2 de Maio, uma multidão de devotos para celebrarem a festa da sua padroeira, a Rainha Santa Mafalda, “honrando as suas virtudes, exaltando a sua santidade, agradecendo a sua intercessão e pedindo pelas suas necessidades”.

Sendo essencialmente uma festa religiosa, o seu programa, desenhado dentro dos moldes de anos anteriores, contou este ano com a presença do Bispo Auxiliar do Porto, D.João Lavrador que presidiu, à Celebração Eucarística, acompanhado de mais 7 sacerdotes, muitos deles naturais de Arouca.


Na homilia, D.João Lavrador, partindo dos textos bíblicos lidos, afirmou que a Palavra do Senhor nos coloca num “confronto permanente entre a fé cristã e o mundo” confronto esse que é um “apelo à renovação”. E para essa renovação- continua D.João Lavrador-“urge fixar a pessoa de Santa Mafalda, não só no seu exterior, na sua história e na tradição que nos liga a ela, mas em profundidade”. É que ela, sendo de família real “soube conjugar e harmonizar o sentido da procura de Deus com o amor aos irmãos, a procura do silêncio que introduz na verdadeira sabedoria e a santidade que humaniza, sem nunca deixar de se preocupar com o mundo e as pessoas.”
Além da Missa solene na Igreja do Mosteiro de Arouca, completamente apinhada de fiéis, o ponto alto desta festa foi como também a procissão do SS.mo Sacramento, pelas ruas da Vila, acompanhada pela Banda Musical de Arouca e na qual se incorporaram numerosas pessoas.
Tratando-se de uma festa concelhia, incorporaram-se também nessa procissão as cruzes paroquiais de todas as paróquias de Arouca, como expressão da unidade à volta da sua padroeira, além dos Bombeiros Voluntários e dos Escuteiros.

Durante a procissão foram retomadas algumas tradições que bem contribuíram para o seu embelezamento através de diversas colchas penduradas em muitas janelas, bem como o lançamento de pétalas de rosas sobre o pálio que acolhia a custódia do Santíssimo Sacramento, transportada pelo pároco, Pe. João Pedro Bizarro.

Embora muito menos frequente, porque esquecido ou ignorado hoje pela grande parte das pessoas que assistem à procissão ao longo das ruas, foi o gesto de respeito e veneração ao Santíssimo, manifestado através do ajoelhar ou da inclinação da cabeça à sua passagem.

As cerimónias religiosas terminaram com o Hino da Rainha Santa Mafalda, frente ao altar lateral onde repousam os seus restos mortais, dentro de um túmulo relicário, datado de 1718 e feito em ébano, com aplicações de prata e bronze, rematado por uma coroa real.

Para além da presença, já habitual, da Irmandade de Mosteiro de Lorvão, onde jazem as duas irmãs de D.Mafalda, as beatas Teresa e Sancha, foram também convidados para esta festa da Padroeira alguns cavaleiros da Ordem de Malta, bem como alguns voluntários da mesma.

Todas as cerimónias religiosas, transmitidas em directo pela Rádio Regional de Arouca, foram musicalmente abrilhantadas pelo Grupo Coral de Urro, acompanhado ao órgão de tubos pelo seu organista titular, Nicolas Roger.


José Cerca

Sem comentários: