sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A ninguém devemos excluir...


Acolhidos por Cristo, à mesa do Pão e do diálogo, a ninguém devemos excluir. É este o aviso, que a Palavra de Deus deste Domingo nos deixa (XXVI Comum B).

E há outros sinais de alarme, a que não podemos fechar os ouvidos. E pedras de tropeço que nos podem fazer cair. Que o Senhor nos purifique o coração, para que seja realmente fraterna a mesa de que nos abeiramos.

* Pelas vezes em que fomos «escândalo», pedra de tropeço, para os mais pequeninos,
Senhor, tende piedade de nós!

*Pelas vezes em que excluímos e não acolhemos os mais distantes,
Cristo, tende piedade de nós!

* Pela nossa vida regalada e libertina, fechada às necessidades dos mais débeis,
Senhor, tende piedade de nós!

A Igreja, por natureza, católica, quer dizer, universal, deverá constituir-se como espaço de comunhão entre todos. A assembleia eucarística reunida em nome de Cristo é o espaço visível desta comunhão.

Sem comentários: