sexta-feira, 22 de junho de 2012

Não basta a competência...



Não basta agir com competência: medicar bem, dar de comer a horas, lavar em condições, vestir com dignidade.

A competência profissional é uma primeira e fundamental necessidade, mas por si só não basta! A pessoa humana precisa de algo mais que um tratamento apenas tecnicamente correcto: tem necessidade de humanidade, precisa da atenção do coração. Todos os que trabalham nas instituições caritativas da Igreja deviam distinguir-se por isto: não se limitam a executar habilidosamente a acção conveniente naquele momento, mas dedicam-se ao outro, com as atenções sugeridas pelo coração, de modo que cada pessoa sinta a sua riqueza de humanidade” (DCE 31).

Sem comentários: