quarta-feira, 31 de outubro de 2012


VIVER A FÉ EM MINORIA
Testemunho de D.Barwa em Arouca

Todos os anos, milhares de pessoas, no silêncio do mundo, são perseguidas, torturadas, mortas, apenas porque têm uma fé diferente”.

Esta afirmação do deputado Ribeiro e Castro, proferida na sessão de apresentação pública do “Relatório sobre a Liberdade Religiosa” em 2012, produzido pela Fundação AIS, foi reforçada em Arouca, no passado sábado, dia 27 de outubro, por D.John Barwa, arcebispo da província de Orissa, na India.
Tendo-se deslocado a Arouca, acompanhado da Diretora da Fundação “Ajuda à Igreja que sofre”, eng. Catarina Martins, para inaugurar uma exposição itinerante sobre a perseguição aos cristãos, D.Barwa, numa conferência que teve lugar na igreja do Mosteiro, teve ocasião de testemunhar muitas dessas perseguições que têm ocorrido em Orissa, a província mais pobre da India, habitada por 11 milhões de pessoas, das quais apenas 170 mil professam a religião cristã.
D.Barwa manifestou a sua alegria por poder estar a testemunhar em Arouca, depois de ter passado por várias localidades de Portugal, a luta dos cristãos das suas dioceses na manutenção da sua fé, perante os ataques, as humilhações, as ameaças e a destruição levadas a cabo por extremistas hindus.
Depois de referir vários casos impressionantes não só de violência física, de ameaças e de humilhações contra cristãos, mas também de destruição das suas casas e de espaços de culto, D.Barwa sublinhou, não só a atitude de perdão por parte dos cristãos, mas também a certeza de que “nada nos separará do amor de Deus”.
Afirmou mesmo que para os perseguidores é difícil compreender o perdão dos cristãos, mas, “é aí que está a nossa grande força” – afirmou.
Acreditando que “cristãos mártires são sementes de fé”, o bispo de Orissa afirmou que há um crescimento muito grande na sua diocese e que ela é, em toda a India, a que tem tido mais vocações, nos últimos anos.
Apesar dos terríveis acontecimentos ocorridos na sua diocese em 2008, em que centenas de cristãos foram vítimas da intolerância religiosa que deixou um rasto de destruição com milhares de casas queimadas e Igrejas destruídas, D.Barwa referiu que se começa a sentir já uma mudança de mentalidades e alguma tolerância pelos cristãos.
E a esta mudança de mentalidades não terá sido indiferente a maneira pacífica e a atitude de perdão, adotadas pela comunidade dos cristãos naquela vasta província indiana de Orissa.
Refira-se que esta exposição, integrada no Ano da Fé, estará patente no Convento de Arouca, nas antigas instalações do Centro Juvenil salesiano, até 4 de Novembro, seguindo depois para as paróquias de Mansores, Chave, Carregosa e Vila Chã (Vale de Cambra).
 
José Cerca
 
 Conferencia

                  Pe João com o Sr Bispo e a diretora da AIS

 Exposição

Sem comentários: