quinta-feira, 18 de março de 2010

“O amor tudo desculpa!” (I Cor. 3,7)


Um simples risco no chão, transforma pedras em perdão.

A sentença de Jesus põe fim ao julgamento popular de uma mulher indefesa, num crime público, e em directo, de que aliás, se desconhece o principal cúmplice. Em vez da justiça que vem da Lei, escrita em tábuas de pedra, Jesus escreve com o dedo no chão, e dita a sentença cordial: «Quem de entre vós estiver sem pecado, atire a primeira pedra» (Jo.8,7).

Depois, a sós, com a mulher, Jesus não ignora o pecado, mas vê com amor toda a miséria e toda a sua dor. E por isso, a oferta do perdão, destina-se a abrir-lhe um caminho novo, a oferecer uma nova oportunidade, numa espécie de nova criação: «Nem eu te condeno. Vai e não voltes a pecar» (Jo.8,11).

Sem comentários: